carregando...

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

18 de outubro de 2022

CCS - COORDENADORIA DE COMIUNICAÇÃO SOCIAL GABINETE SEMURFH

Semurfh monta frentes de trabalho para zerar pedidos de demarcações

Equipe está indo a campo para executar até dez solicitações por dia

 

Entre as várias frentes de trabalho da Secretaria Municipal de Regularização Fundiária e Habitação (Semurfh), uma é específica para, segundo o secretário José Luís Vargas, zerar os processos de pedidos de demarcações em áreas urbanas.

Segundo ele, existem centenas de processos solicitando demarcações de áreas que estavam há anos parados na Semurfh. A demarcação de áreas urbanas é requerida sempre que, por exemplo, o proprietário de um lote precisa cercar ou murar o imóvel. O pedido é feito à secretaria que escala uma equipe para demarcar a área de forma legal.

“Quando assumimos a Semurfh, pegamos processos que estavam parados há mais de três anos. Tínhamos de fazer uma frente de trabalho para executar o máximo de processos para finalizar esses pedidos. Como têm processos parados há muito tempo, tem proprietário que foi lá [na área] e levantou a cerca ou o muro por conta própria. Hoje, temos que regularizar isso com urgência”, detalhou José Luís Vargas.

De acordo com o secretário, a Semurfh montou uma equipe composta por quatro servidores, exclusivamente, para atender aos pedidos de demarcação de áreas urbanas. Ela atende, em média, 10 requisições por dia.

“O Prefeito (Isaú Fonseca) nos tem apoiado muito. Não tínhamos veículos nem equipamentos para o trabalho de campo, e ele providenciou tudo que pedimos. Hoje, com os veículos e equipamentos que nos foram disponibilizados, podemos agir com várias frentes de trabalho para dar celeridade às nossas demandas”, garantiu.

Com as frentes de trabalho da Semurfh, pessoas como a Manjori Simoni Procópio, moradora de Presidente Médici, não perdem tempo para ser atendidas. Ela chegou à sede da secretaria, na manhã de terça-feira (18), para dar entrada no pedido de transferência de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) de um imóvel que adquiriu em Ji-Paraná, e já recebeu atendimento.

“Pensei que seria demorado, teria que pegar fila e tudo mais, mas não foi isso que aconteceu. Cheguei e já fui atendida. Agora é só providenciar os documentos que eles pediram e já vou ter meu imóvel legalizado”, comentou Manjori.

FOTOS: Arquivo Semurfh