carregando...

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

25 de janeiro de 2022

CCS - COORDENADORIA DE COMIUNICAÇÃO SOCIAL GABINETE SEMED

Restam mais de 2 mil vagas nas escolas municipais

Levantamento foi realizado nas 33 unidades de ensino

 

O período de matrículas na Rede Municipal de Ensino já está encerrado, com exceção apenas da Escola Jamil Vilas Boas, localizada no bairro Duque de Caxias,  distrito de Ji-Paraná, que teve o início das matrículas adiado para janeiro, por causa das enchentes ocorridas no último mês de dezembro.

Porém, como informa a Superintendência de Gestão Escolar da Secretaria Municipal de Educação (Semed), restam quase mil vagas a serem preenchidas, desde o Pré I ao 5º ano do Ensino Fundamental, nas unidades escolares municipais da zona urbana.

De acordo com levantamento feito pela Superintendência de Gestão, se somadas as vagas remanescentes das escolas da zona rural, esse número mais que dobra, ou seja, são mais de 2 mil vagas de 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental.

Esse levantamento foi feito até o dia 21 deste mês e contabilizou 6.268 alunos matriculados em toda Rede Municipal de Ensino, restando 924 vagas nas escolas urbanas e 1.213 vagas nas escolas rurais.

Enquanto escolas como a Jandinei Cella, localizada no bairro Jardim dos Migrantes, praticamente lotou as 14 turmas de 1º ao 5º ano com 353 alunos matriculados, escolas como a Ruth Rocha, localizada no bairro Nova Brasília, tem em oferta à comunidade quase 100 vagas restantes para fechar as 26 turmas de 1º ao 5º ano, com um total de 633 alunos matriculados, até a data do levantamento.

“Vagas nós temos muitas ainda. O que ocorre em algumas de nossas unidades é que existe uma procura maior por algumas escolas em detrimento de outras. Temos pais, por exemplo, que moram no bairro Nova Brasília e querem matricular seus filhos em uma escola no Jardim dos Migrantes. É uma logística complicada, mas a escolha é livre, os pais decidem onde querem que seus filhos estudem. As escolas foram e são construídas de acordo com um estudo de demanda feito por bairro, por zona geográfica. Essa migração de alunos para escolas distantes dos bairros onde moram nos leva à uma nova readequação de toda a Rede”, explicou a superintendente de Gestão, Rosineide Marcolino.

Matéria: Cristian Menezes
Fotos: Arquivo Ascom