carregando...

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

14 de outubro de 2022

CCS - COORDENADORIA DE COMIUNICAÇÃO SOCIAL GABINETE SEMFAZ

Alunos têm palestra sobre importância do IPTU para sociedade

GGFF fez esclarecimentos para estudantes da Escola Jovem Vilela

Alunos do 2º ano do ensino médio da Escola Estadual Jovem Gonçalves Vilela, de Ji-Paraná, participaram uma de palestra sobre a importância do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). A iniciativa foi da Gerência Geral de Fiscalização Fazendária (GGFF), da Secretaria Municipal de Fazenda (Semfaz).

De acordo com a gerente da GGFF, Vera Lúcia Lucena Ribeiro, a palestra esclareceu muitos pontos sobre a importância do IPTU para os estudantes. “As explicações foram bem recebidas pelos alunos do Jovem [Gonçalves] Vilela, bem como a necessidade de todo o cidadão pagar o imposto”, frisou.

Segundo ela, o IPTU é uma das fontes de renda da Prefeitura de Ji-Paraná. “Todos os impostos de competência do município caem em uma grande bandeja e são utilizados onde o gestor verifica a necessidade de utilização como, por exemplo, saúde, educação, infraestrutura, materiais de consumo, segurança, etc.”, explicou.

O cálculo do IPTU é feito com base no valor venal do imóvel. Ele é o preço que a prefeitura estabelece para cada terreno. Para se chegar a esse valor, são considerados pontos como a localização da propriedade, tamanho do terreno e área construída (avaliada em metros quadrados e tipo de material utilizado).

“Sabendo que o pagamento [do IPTU] é uma obrigação, se o cidadão deixar de pagar, ele pode ter que arcar com juros e multas, perda da propriedade [ir a leilão] e ser incluído em dívida ativa. Isso suja o nome da pessoa e impede que ela possa fazer empréstimos ou financiamentos”, admitiu Vera Lucena.

“É preciso conhecer um pouco mais sobre o IPTU e seu uso para que o contribuinte faça uma boa organização financeira para estar em dia com ele, para evitar consequências desagradáveis de acumular débitos. E quanto mais cedo os jovens entenderem que o imposto pago é benefício de todos, por vivermos em sociedade, melhor”, acrescentou.