carregando...

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

24 de agosto de 2022

CCS - COORDENADORIA DE COMIUNICAÇÃO SOCIAL GABINETE PARCEIROS SEMEIA

Ação educativa sensibiliza a população sobre perigos de queimadas

Visitas com distribuições de panfletos estão sendo realizadas pela Semeia

Os moradores dos bairros Jardim Flórida e Primavera (2º distrito) receberam, na manhã desta terça-feira (23), a visita da equipe da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semeia). Eles foram orientados sobre os impactos que as queimadas podem causar ao meio ambiente e como utilizar o aplicativo Guardiões do Meio Ambiente, que é um aliado importante para combater a prática dos incêndios urbanos, principalmente, neste período de seca, pois registra a localização exata dos focos.

 “Destacamos a importância da preservação do meio ambiente, reciclagem do lixo e arborização, além de alertar que a queimada é crime, que a fumaça causa várias doenças respiratórias e que as denúncias podem ser feitas de forma anônima ou identificada, por meio do aplicativo [play.google.com/store/apps/details?id=br.com.amazondev.guardioes_meio_ambiente_app]”, informou a secretária da Semeia, Jeane Muniz.

Durante as visitas, a equipe orienta para que a pessoa não ateie fogo ao lixo no quintal ou em terrenos baldios, não jogue bitucas de cigarro em áreas de matas ou estradas e não ateie fogo em áreas urbanas ou rurais.

“Uma outra opção para denunciar é ligar para os números 3423-3791 Polícia Ambiental, 193 [Corpo de Bombeiros] e 3411-4204 [Semeia]. Contamos com o apoio de todos neste combate às queimadas”, afirmou o coordenador de Educação Ambiental da Semeia, Wendell Goulart.

Jeane Muniz reforçou que a finalidade das visitas é conscientizar os moradores sobre os danos causados pelas queimadas como, por exemplo, prejuízos para a fauna e flora, comprometer a qualidade do ar e provocar problemas respiratórios à população. “Em 2021, foram registrados 452 focos de queimadas. Neste ano, até o dia 22 de agosto, já contabilizamos 213 queimadas, sendo 22 só neste mês”, detalhou a secretária.

Wendell Goulart informou que as visitas serão realizadas em diversos bairros, principalmente, nos que têm registros de muitos focos de queimadas. “O objetivo é tirar as dúvidas dos moradores e levar informações para que eles saibam onde e como denunciar as queimadas urbanas”, esclareceu o coordenador.